Lembra do pager/bip ? Ele ainda existe.

Um dos dispositivos utilizados pela empresa Teletrim

Um dos dispositivos utilizados pela empresa Teletrim

Quem tem mais de 20 anos de idade vai se lembrar deste precursor do SMS do celular: o pager. Mas o que pus na foto acima é um dos mais moderninhos: os primeiros modelos eram conhecidos simplesmente como bip, pois era esse o som que se emitia quando se recebia uma mensagem. Era um aparelho que tinha um aspecto de um controle remoto de TV grande e com uma lâmpada que acendia ou piscava e o tal som de bipe. Pela cidade era espalhada uma rede de rádiofreqüência que emitia o sinal para o bipe. Seu uso era bem rococó. Jovens, preparem-se para um susto.

Cada usuário tinha um número de identificação. Até aí, sem novidades, é preciso um número para enviar um SMS. Porém, para enviar uma mensagem ao portador de um bipe, tinha que ligar para o callcenter (e esse nome nem existia) da empresa do bipe, ditar o número de identificação para um atendente e ditar a  mensagem a ser enviada. Estranho, não ? Privacidade ínfima. Como os bipes não tinham painel de LED ou LCD, a função do caro aparelho era simplesmente alertar que havia uma nova mensagem. O dono do bipe ao perceber o aviso sonoro ou visual, tinha que ligar para o mesmo callcenter, se identificar dizendo uma senha e ouvir lá do outro lado da linha o atendente ler em voz altas todas as mensagens enviadas para o número de identificação dele. É apenas um pequeno passo evolutivo em comparação ao bilhete na porta da geladeira.

Os aparelhos mais modernos, como o da foto desse artigo, possuiam painel de LCD e recebiam diretamente as mensagens, evitando a necessidade da leitura em voz alta por um atendente do callcenter, passando a ter hegemonicamente o nome pager no Brasil. Porém, o envio de mensagens ainda era feito pelo método rococó de ligar por voz e ditar para uma pessoa. Antes da difusão do celular a paritir da segunda metade da década de 90 era isso que se entendia por mobilidade.

Qual foi a última vez que você viu um pager ? Eu lembro: foi em 1999. Os SMS, chamados também ora por torpedos, ora por mensagem de texto, começavam a surgir nos aparelos e nas redes TDMA/CDMA das redes de celular mas ainda havia quem preferisse ligar para um callcenter e digitar as mensagens. As pessoas ainda penosamente se habituavam a apertar três vezes a tecla de número 2 para sair a letra C. Hoje o SMS vingou: até minha tia-avó septuagenária me manda SMS.

Mas numa tarde de pensamentos retrô, vendo o pôr-do-sol na capital paulista me lembrei da empresa Teletrim, uma das mais populares de bipes/pagers. O que será que estavam fazendo ? Fecharam as portas ? Viraram provedor discado ? Chutei no meu Firefox teletrim.com.br e deu certo, era o site deles. Descobri o que agora fazem: o core business deles é o bloqueio remoto de veículos. Sábia decisão: para quem tem uma rede de rádiofreqüência espalhada por vários municípios, é um serviço rental. Também vi um produto VoIP, via internet mesmo, e achei uma aberração os preços. E por fim vejo o agonizante serviço de pagers, ainda com aparelhos da Motorola.

Fiquei curioso… quanto deve custar em 2009 o supra sumo da mobilidade das décadas de 80 e 90 ? Liguei para 4003-8200 como indicado no site e fui deveras mal atendido. Quiseram me encaminhar duas vezes para um número 0800 que nem existe mais e os atendentes do 4003 nem sabiam disso. Fui tão insistente que tomaram nota dos meus dados e por bilhetinhos internos na empresa, algum responsável pelo setor de pager soube da minha existência, do meu telefone e cerca de 2h depois me ligou. O rapaz foi sucinto e direto:

  • Aparelho: R$60,00
  • Mensalidade: R$25,00 contemplando 6.500 caracteres recebidos. Depois disso, R$0,01 a cada 2 caracteres.
  • Ativação: em até 3 dias úteis

Será que vale a pena ? Comparemos com as redes GSM. De acordo com a Claro, SMS tem um limite de 160 caracteres por mensagem. Fiz um levantamento de quanto custa o SMS em algumas operadoras que tinham essa informação no site oficial para comparar com o serviço da Teletrim:

  • Claro: R$0,30 por SMS
  • TIM: R$0,39 por SMS
  • Vivo: R$0,35 por SMS
  • Aeiou: R$0,14 por SMS
  • Teletrim: R$0,61 (considerando cada 160 caracteres do total de 6.500)

Se formos considerar um usuário que extrapole os 6.500 caracteres no mês – o que seria cerca de 40 SMS – o preço é maior ainda: R$0,80 cada 160 caracteres, ou seja, o equivalente a um SMS.

Então como insistem em vender um serviço desses ? Não sei responder, mas reconheço três diminutas vantagens. A primeira é o envio de mensagens pelo site da empresa, serviço nem sempre disponível em todas as operadoras, como é o caso da TIM que cobra pelo envio de SMS pelo seu site. A segunda vantagem  é o serviço Etrim, que permite que e-mails sejam redirecionados ao pager, porém, ao oneroso custo revelado acima. Muito provavelmente é mais barato usar os clientes de e-mail embutidos nos dumbphones atuais via GPRS/EDGE, mas não pude me debruçar sobre essa questão. E a última singela vantagem nos lembra os primórdios do serviço: você pode receber via pager um e-mail e para respondê-lo, ligar para o callcenter e ditar para o atendente uma resposta.

Não consigo imaginar que trafegar dados na rede da Teletrim tenha um custo tão elevado Imagino que o serviço poderia ainda ter algum fôlego se não fosse tão caro e se principalmente proporcionasse recursos que geralmente não se tem via SMS. Há quem está o tempo todo na rua e precisa de comunicação permanente e assíncrona, como representantes comerciais que fazem muitas visitas. Um smartphone com um plano 3G ainda não é muito acessível, portanto, se o Teletrim tivesse um custo fixo de 25 reais e 60 reais o aparelho seria uma boa, não ?

Você pode gostar...

28 Resultados

  1. flavio disse:

    sem duvida valeria a pena se fosse barato!
    mas usar tecnologia dos anos 80 com preço de tecnologia do próximo século é RUIM de engolir!

  2. Eu tenho EXATAMENTE este aparelho que está ilustrando o post (É ótimo, 4 linhas de visor). O problema do POCSAG é que ele é bem oneroso no que tange a tecnologia (E lento pra chuchu). Existe o sistem FLEX também, que basicamente prima pela economia de bateria (não sei onde, tive um advisor flex e nao ví diferença). Links: http://en.wikipedia.org/wiki/POCSAG

    Eu honestamente gostaria de ver um serviço de pager decente no ar. Simplesmente porque voce bate o olho no aparelhinho e ve a mensagem diretamente. Nao tem que clicar em nada (no maximo um botao e o scroll). Voce nao e obrigado a dar uma resposta na hora, e dependendo do que a operadora fizer ele pode ser tão eficaz quanto um celular (Ou mais pra quem adora SMS – imagina um SMS-PAGER gateway? :])

  3. Luciano disse:

    Outro dia mexendo nas minhas coisas eu achei o meu velho pager (igual ao dá foto). A operadora era a CONECTEL. Era de muita utilidade para mim, pois trabalhava em uma grande empresa e o meu posto de trabalho ficava longe de telefones. Coloquei as pilhas no mesmo e não é que ainda está funcionando, porém só não recebo mais mensagens. Estou usando ele como despertador. Se tiver alguém interessado em adquirir o mesmo para guardar ou colecionar, estou vendendo o meu por R$ 40,00 + despesas de correios. Tem gente que gosta de colecionar essas coisas.

  4. Sergio Lima disse:

    Opa Kurtkraut!

    Eu também já tive um deste da foto e depois um menorzinho… os caras tinham uma loja gigante na pres. Vargas (centro do Rio)… e nem sabia que existiam…

    Queria saber quem o e louco que ainda usa este serviço 🙂

    []’s

  5. Carlinhos disse:

    Velhos tempos da nostalgia dos anos 80, porém a falta de privacidade era complicada mesmo…

    Acho que se o serviço fosse bem barato ainda resistiria por mais alguns anos, porém é caro
    e com os torpedos de celulares temos mais vantagem em empenho e economia 🙂

  6. kaio gracco disse:

    e o MOBIL como fika?? rsrrsr

  7. ricardo disse:

    eu mesmo usei muito estes aparelhos pois eram muito modernos na época sem contar que éra status ter um bip destes tinham de varias marcas da intelco que só tocava da motorola um dos maiores fabricantes,da nec tambem muito grande o que eu mais gostava era o da nec um grande com 4 linhas era muito legal.pena que acabou.sou sim um saudosista.

  8. Luiz disse:

    Gostava do “ringstone’ do meu Conectel (da motorola) aliás ele está aqui na minha mesa. Vou ressussitá-lo e usá-lo como um despertador estiloso.

  9. lenorocknroll disse:

    eu tenho 10 pager/bip amo todos odeio celulares.

  10. rita disse:

    estou pesquisando para trabalho escolar… meu esposo tinha um mas nao me lenbro da pager ser taO VELHO OBRIGADA ME Ajudou muito.

  11. Diego disse:

    kara hoje eu tava num brrexó de coisas antigas e axei um bip da conectel,fiquei enrrolando a mulher para ela me vender o bip, no final comprei ele por 03,50 centavos kkkkkkkk se ela soubese que hoje um desses custa caro kkk, ele ta funcionando ainda(só nao sei como mardar uma mensagen para outra pessoa)se alguem souber entra em contato comigo pelo msn [email protected] tenho 13 anos

  12. Leandro disse:

    hj sem querer achei o meu … fui procurar uma empresa para habilitalo mas não achei.. e sem querer achei esse site.. o meu é um memo elite flex é um dos mais modernos.. queria habilitalo.. alguem sabe como?

  13. nic disse:

    Excelente artigo, Obrigado pelas informações!

    Houve por um tempo nos EUA e outros países serviços de pager em que os aparelhos podiam enviar mensagens. Seria basicamente como um celular que só manda SMS, e permite ainda acessar outros serviços baseados em texto, de baixa taxa de transmissão. Acho que isso nunca pegou aqui no Brasil. (Procure sobre o Motorola talkabout T900.)

    A verdade sobre o SMS é que parece barato aí nessas contas, mas o custo mesmo pras operadoras é ínfimo. Deveria ser possível criar um serviço de mensagens com um custo bem mais baixo. O que dificultaria hoje seria mesmo apenas a estranheza de se carregar dois dispositivos.

  14. Cássio disse:

    Nunca entendi muito essa coisa de bip, não. Quando eu era criança, meu tio tinha esse aparelho e eu achava muito chique, mas não sabia como funcionava. Só agora que está obsoleto é que descobri. Ironia.

    Estou cursando uma disciplina na UFMG em que estudaremos produção de texto e software livre. A relação entre texto e software livre é que esse último faz com que as pessoas escrevam, como é o caso nesse blog. Aqueles que estudam textos, poderiam, por isso, ajudar os que os escrevem na internet. E, sinceramente, não sabia que vocês precisavam tanto dessa assessoria.

  15. Thiago Ferraz disse:

    Ótimo artigo!

    Porém, da mesma forma que há males que vem pro bem, existe hoje um dependência demasiada das ferramentas eletrônicas, a linha tênue entra o uso sadio deste e o vício já foi rompida há muito, tudo começou com o ar de maravilha causados pela proximidade permitida com a tecnologia, porém, quantos de vocês exercem aquela cultura da boa vizinhança de outrora? Salve o meu, o seu, os nossos vizinhos! Abaixo a alienação das pequenas/grandes cabeças da tecnologia.

    Abs

    Thiago Ferraz

  16. Raquel Dias disse:

    Nunca imaginei que esse tipo de serviço ainda estaria ativo. E ainda mais querendo cobrar um preço similar ao do SMS. O funcionamento é mais complicado, com menos privacidade e mais dificil de retornar a mensagem. Além de ser realmente hoje em dia sair carregando mais de um aparelho que pode fazer a mesma coisa. Quase tão estranho quanto ter duas televisões, uma do lado da outra.

  17. com todo respeito issu e coisa do passado , agora e telefonia movel fala serio. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  18. joga issu fora malandro issu ai e lixo kkkkk tal de pib kkkk fala sriu

    kkkkkkkkkkkkk

  19. Flavinha disse:

    Eu tinha um da Conectel que meu vô me deu de presente. Usei bastante mesmo. Funcionava direitinho…
    Era engraçado ligar na central e ditar a mensagem!

  20. João Gabriel disse:

    Tenho um desses (Motorola Advisor Gold – http://www.google.com.br/images?um=1&hl=pt-BR&safe=off&client=firefox-a&rls=org.mozilla%3Apt-BR%3Aofficial&biw=1280&bih=697&tbm=isch&sa=1&q=motorola+advisor+gold&aq=f&aqi=&aql=&oq=) guardado no armário. Pertenceu à minha tia, que o usou bastante na era pré-telefonia celular digital.

    Ele era da operadora Powernet, que posteriormente teve sua operação assumida pela Pagenet. Ainda funciona (usa apenas uma pilha padrão AA). Os maiores baratos dele são a rapidez para ligar (apertou o botão verde, já está ligado) e o sensor de iluminação, que só ativa a luz de fundo do aparelho se a iluminação ambiente for baixa.

    Bons tempos em que tirávamos do gancho os telefones da TELESP para telefonar à central, passando o código do pager e a mensagem a ser transmitida. Ah, lembro que a Pagenet enviava também, durante o dia, algumas notícias gratuitamente. Mesmo depois de vários anos de cancelamento do serviço, ao ligar o aparelho, apareciam as notícias do dia. Isso perdurou até o início da década de 2000, quando a empresa foi vendida e abandonou definitivamente o serviço.

  21. era chique ter e muito jtil ter.

  22. Bom aqui nos estados unidos ainda rola muito pager. Policia, Hospitais, Bombeiros, e principalmente druglords.
    Os chickos latinos só andam de pages, não sei se montaram uma rede privada, mas eles usam muito para repassar informacões.
    Acredito que por causa das quebras de sigilo telefônico são bem comuns em Calif.
    Não faco idéia se o aparelho deles suporta encrypt.

  23. Lara disse:

    huahua rachei o bico. Só tem gente doida, quem vai comprar um pager nos dias de hj? Nem que fosse mais barato gente olha essa tela, gasta muito mais tempo tanto pra escrever quanto pra ler.

    daora seu jeito de escrever.

    beijo.

  24. O que é necessário para fazer operar sistema de pager em uma área restrista de um Universidade?

  25. Alexandre disse:

    A Anatel descontinuou o serviço, que era muito útil para EVITAR que empresas e profissionais, principalmente médicos, divulgassem o número do seu celular. Existe uma opção, com bem mais atributos, que é o Atendimento Virtual, como o http://www.numeromagico.com.br , onde uma secretária atende em nome da empresa/pessoa, e faz o acionamento via SMS no celular do profissional ou da empresa. Em Dez/2012, o custo está no site (entre 250,00 e 350,00/mês)

  26. alexandre joele disse:

    Existe uma empresa no Brasil que ainda presta o serviço: http://www.twwwireless.com.br A Teletrim não existe mais. Foi comprada pela Graber e acho que agora é usada só para desbloqueio de veículos mesmo. Lembro que em uma dessas empresa você podia mandar mensagem pelo site depois que a Internet começou no Brasil. Certamente foi um disperdicio da infraestrutura já existia abandonarem o serviço. Ninguem inteligente quer ficar pagando os preços que as operadoras cobram pelos serviços de celular no Brasil. Fora do Brasil esse serviços ainda existem e poderiam ter dado continuidade no Brasil com menores custos e maior confiabilidade para aplicações especificas, como equipes de trabalho em cmapo. Mas brasileiro é preguiçoso mesmo… Tanto pra trabalhar, quanto para aprender. Criatividade é uma desculpa para fugir da dureza no Brasil. Vejam os serviços da http://www.skytel.com nos EUA. Eles tem até rooming internacional e usam os aparelhos que podem enviar e receber mensagem, você pode fazer envio de mensagem por email, site ou modem no computador. No site http://www.braddye.com/directory.html você encontra uma lista de operadoras nos EUA e em outros países.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *