Pão que o diabo amassou

Depois de ter feito chacota dos outros, agora sou eu que está refém do Windows e do Software Proprietário. Muitos devem ter sentido falta do nosso podcast. A falta de novos podcasts se deve a uma série de problemas técnicos irritantes, absurdos e estúpidos que a plataforma do Software Proprietário já aprendeu a resolver num estalar de dedos.

Para os mais perdidos, o podcast que me refiro é o podcast Planeta Ubuntu Brasil, que nada mais é que um talk show, um programa de rádio sobre o Ubuntu em que as pessoas podem baixar e ouvir.

Para esclarecer, o que estou tentando fazer é o seguinte:

1) Preciso poder falar em tempo real com outros apresentadores e convidados do programa online através de uma conferência, semelhante ao que o Skype faz.

2) Todos os apresentadores/convidados tem que ser ouvidos e poderem falar a qualquer hora

3) Os ouvintes podem ouvir ao vivo o programa através de streaming de áudio.

4) A capacidade de tocar arquivos de som/música e que todos os participantes e ouvintes ouçam.

5) Um arquivo de áudio gravado para os ouvintes que perderam o programa possam ouvir depois.

O que vou fazer com isso ? Um talk show com vários apresentadores espalhados pelo país e pelo mundo que irão conversar sobre o Linux e Ubuntu, tirando dúvidas enviadas por e-mail pelos ouvintes que estão acompanhando ao vivo o programa. Algo muito semelhante a um programa de rádio FM comum. Mas pasmem: praticamente não é possível fazer isso com Software Livre.

Tanto que nas 2 primeiras edições do podcast tivemos que utilizar o Skype para reunir os participantes. Por quê ? Era o único que conseguia fazer isso com alta qualidade de som e baixo consumo de banda. Soluções livres como o Gizmo em conferência chegam a ter um desempenho infame, pior que walkie-talkie de camelô.

Skype que por sua vez simplesmente se apodera do dispositivo de som impedindo o uso de qualquer outra aplicação multimídia ao mesmo tempo, como a retransmissão para ferramentas como o icecast. Falando no icecast, ele leva o Troféu Kraut de pior documentação. Se você pernambular a documentação própria dele ou de blogs e wikis pelo google, irá achar alguns arquivos XML de configuração para ele. Como disse bem o LedStyle, o icecast é o único programa que tem a capacidade de não funcionar quando você usa até uma configuração pronta, baixada da internet, feita e ‘aprovada’ por outra pessoa ou a padrão. É de no mínimo dar nos nervos.

Eu e o LedStyle (autor da imagem deste post) passamos algumas horas hoje nos arriscando com o Flumotion, que aparentemente foi utilizado no FISL. É um sistema de tecnologia alienígena, ninguém entende aquilo. Muitas das instruções encontradas pela web citam arquivos e comando que sequer acompanham o pacote do Flumotion dos repositórios oficiais do Ubuntu. Além de fenômenos curiosos como o sistema tentar logar infinitamente sem dar mensagem de erro ou simplesmente aceitar qualquer login e senha.

Enfim, é nessa sinuca de bico que estamos. Mal conseguimos uma aplicação livre para poder manter a comunicação entre os participantes do podcast muito menos algo que o retransmita ao vivo que funcione. O que dá vontade de cortar os pulsos é ver que as soluções em Software Proprietário para isso são praticamente out of the box. Dá para fazer tudo isso em menos de 30min no Windows.

Tem valido mais a pena um dia de leão no Windows do que um ano de carneirinho no Linux. Se alguém conseguir resolver essa questão, terá nossa enorme gratidão e irá abrir o precedente para muitos projetos multimídia. Mas de ajudas do tipo ‘instale o software X‘ ou ‘use a ferramenta Y‘, obrigado, já estamos cheios, pois X e Y nunca funcionam e nem ninguém consegue funcionar.

Portanto, ou algum gênio consegue sanar estas questões ou considerem o podcast do Planeta Ubuntu Brasil morto. Basta entrar em contato conosco por e-mail ou pelos comentários deste post. E é claro, um ponto negativo muito feio na minha caderneta do Software Livre. Vergonha, é o que sinto nessas ocasiões, vergonha.

Abraços,

Kurt Kraut